Arraial da Vacinação: uma dose de saúde, de cultura e de esperança

Por Anderson Lindoso*

O mês de junho este ano não teve, mais uma vez, o brilho tradicional dos ritmos e interpretações característicos do nosso povo. As celebrações juninas, que há anos são uma das principais marcas da identidade cultural maranhense, foram novamente interrompidas pela pandemia do coronavírus, causador da terrível COVID-19.

É tradição que durante o mês de junho as vozes da nossa cultura popular ecoem nos arraiais de todo o Maranhão, cantando as belezas naturais da nossa terra, nossa gente, nossos encantos, nossos mistérios e os nossos patrimônios.

Nos dois últimos anos, infelizmente as festas de São João foram sumariamente canceladas da nossa agenda cultural por conta de um inimigo invisível. Entretanto, no último mês de junho, nós tivemos a esperança renovada no Maranhão com o lançamento dos Arraiais da Vacinação, ação que vem acelerando o ritmo de aplicações da vacina contra a COVID-19, até agora a arma mais poderosa para vencermos essa grave crise sanitária mundial.

Nesse grande movimento de esperança e de alegria que é o Arraial da Vacinação, o governador Flávio Dino determinou que organizássemos palcos para que nossas manifestações culturais pudessem se apresentar, ainda que de forma reduzida e distante do público.

A ação deu certo e mostrou que representa um duplo ganho: ao mesmo tempo em que as pessoas que se imunizam retomam contato com nossas manifestações culturais, os grupos e artistas ganham palcos para apresentarem sua arte e receberem remuneração, nesse momento tão difícil da economia.

Toda a sociedade maranhense saiu ganhando com essa festa da esperança. Os grupos que receberam seus cachês puderam pagar suas contas, fazer suas compras e contribuir com a circulação da economia. E isso em todos os municípios que receberam a ação, já que a programação é composta por artistas de cada local onde é realizado o Arraial da Vacinação.

Balanço preliminar da Secretaria de Estado da Cultura (Secma) revela que só em cachês artísticos, foram repassados aos profissionais da cultura mais de R$ 352 mil, em 34 cidades de todas as regiões do Maranhão.

Mais cidades estão recebendo edições do Arraial da Vacinação, levando esperança e prevenção ao maior número de localidades possível. Na última semana, equipes da Secma e da Secretaria de Estado da Saúde (SES) se deslocaram para os municípios de Cajapió e Afonso Cunha.

Ação importante para reaquecer a economia da cultura, os Arraiais da Vacinação mais que duplicaram o ritmo da campanha vacinal no nosso estado. Cito como exemplo o crescimento exponencial de doses aplicadas. No dia 05 de junho de 2021, data do primeiro Arraial da Vacinação, realizado no Pátio Norte Shopping, em Paço do Lumiar, o Maranhão contabilizava 1,9 milhão de inoculações. Exatamente um mês depois, o estado já registrava 3,4 milhões de doses aplicadas e até o dia 22 de julho já foram computadas 3.623.728 de doses aplicadas.        

Nos próximos dias levaremos a festa da imunização às cidades de Pindaré-Mirim, Lagoa do Mato, Pastos Bons, Grajaú e Bom Jesus das Selvas. E muito mais cidades receberão arraiais da imunização!

A vacinação é a única saída para retomarmos nossas atividades em sua plenitude, inclusive as atividades artísticas, já que shows e espetáculos culturais foram as primeiras atividades suspensas com a decretação da pandemia.   

Queremos que os Arraiais da Vacinação continuem a levar saúde por onde passam, na certeza de que estamos ajudando a combater a maior crise sanitária dos últimos cem anos com base no que diz a ciência, e o que é melhor: sempre com a atenção direcionada às pessoas e aos artistas dos quatro cantos do nosso Maranhão.   

*Anderson Lindoso é advogado, professor, secretário de Estado da Cultura e coordenador do Programa Nosso Centro.

Contatos

contatos

(98) 98576-5783 (Whatsapp)
Email: ascomculturama@gmail.com

Links Úteis
Localização

localização